Saúde Emocional dos Familiares

Quando temos um familiar que demanda cuidados com a sua saúde física e/ou mental, é comum que a família centre todos os seus esforços em oferecer um ambiente seguro, confortável e que contribua com os cuidados necessários. Entretanto, a rotina pode ser bastante desafiadora e desgastante para os familiares.

Mesmo contando com ajuda especializada, além das demandas do dia-a-dia, a família ainda precisa lidar com os seus sentimentos sobre a situação vivida. São muitas emoções diversas que podem ser sentidas em um único dia: cansaço, tristeza, angústia, ansiedade, esperança, fé, raiva… Essa montanha-russa de sentimentos pode causar esgotamento emocional e, muitas vezes, prejudica a qualidade dos relacionamentos familiares. Como ter empatia, paciência e resiliência com o outro quando a sua mente está sobrecarregada?

Mesmo contando com ajuda especializada da Cuidare, além das demandas do dia-a-dia, a família ainda precisa lidar com os seus sentimentos sobre a situação vivida. São muitas emoções diversas que podem ser sentidas em um único dia: cansaço, tristeza, angústia, ansiedade, esperança, fé, raiva… Essa montanha-russa de sentimentos pode causar esgotamento emocional e, muitas vezes, prejudica a qualidade dos relacionamentos familiares. Como ter empatia, paciência e resiliência com o outro quando a sua mente está sobrecarregada?

Por isso, é muito importante que os familiares cuidem de sua própria saúde emocional! Uma das ferramentas que eu quero destacar é o autocuidado. Entendo que muitas vezes as famílias se sentem soterradas pelas tarefas e sem tempo para cuidar de si, ou até se sentem culpados em fazer algo prazeroso em vez de usar esse tempo com o familiar querido. Entretanto, precisamos saber que só conseguimos cuidar bem de alguém quando nós também estamos bem.

Você já se atentou às instruções da aeromoça caso ocorra uma emergência no avião? “Em caso de emergência, coloque a máscara de oxigênio primeiro em você e depois auxilie a pessoa ao lado”. É isso! Em situações emergenciais, pessoas que são mais pró-ativas têm a tendência de socorrer aqueles mais necessitados, mas se você ajudar as pessoas sem uma máscara, há uma grande chance de você ficar sem oxigênio e desmaiar antes de conseguir colocar a máscara em você. Não só você estará em grandes apuros, como a pessoa que necessita do seu cuidado também. Quem vai cuidar dela/dele se você não estiver em plenas condições físicas e mentais para isso?

Isso pode ser óbvio quando ouvimos, mas na prática, quantas vezes você põe a máscara primeiro no outro? E quantas vezes acaba ficando sem oxigênio? Brigas familiares, impaciência, depressão, ansiedade, insônia e frustração são alguns dos sintomas mais comuns de esgotamento emocional.

Você não pode negligenciar os cuidados com a sua saúde. O seu familiar precisa do seu tempo, mas ele também precisa de você tranquilo e equilibrado não só para cuidar, mas principalmente para amar e aproveitar da melhor forma os momentos juntos.

Pode ser que você nem lembre mais de quais são as suas necessidades mais básicas que não estão sendo supridas.

Pare, descanse e respire. Coloque a sua máscara de oxigênio! Algumas sugestões de autocuidado que podem ajudar você:

● Descobrir um hobbie
● Passar um tempo a sós
● Criar uma rotina de beleza
● Um ritual espiritual
● Café com um amigo…

Se mesmo assim você perceber que continua sobrecarregado emocionalmente, procure suporte psicológico para continuar trilhando essa jornada com serenidade, equilíbrio e saúde. Você e a sua família merecem passar por esse momento delicado com o máximo de amor, carinho e harmonia.